Rio Grande do Norte

Dois meses após assassinato de PM, policiais antifascistas cobram justiça: “ódio não tem cor nem classe social, mas sabemos que ele também é alimentado pela impunidade”

ImagemPassados pouco mais de 2 meses do assassinato do policial militar João Maria Figueiredo, e ainda enlutados pela falta da presença do companheiro, o movimento ‘Policiais Antifascismo do Rio Grande do Norte’ continua cobrando justiça. Nesta quarta-feira, dia 6, o soldado completaria 37 anos se vivo estivesse.

“Durante esses mais de dois meses, acompanhamos de perto as investigações e colaboramos no que foi possível. Também ajudamos na coleta de provas e apontamos linhas de investigação à equipe da Delegacia de Homicídios e de Proteção a Pessoa (DHPP), e ainda entregamos alguns relatórios, fruto de trabalho conjunto de policiais que compõem o movimento”, disse o policial civil Pedro Paulo, que compõe o grupo.

“O fato é que, com uma forte linha de investigação consolidada, até o momento não temos nenhum mandado de prisão ou de busca e apreensão pedido ou expedido. Isso, além de nos inquietar, traz à tona a mesmo situação de inúmeros homicídios de operadores de segurança pública que ainda carecem de esclarecimento”, acrescentou o agente.

Ainda de acordo com o policial civil, “é amarga a sensação de provar da ineficiência do modelo policial adotado no Brasil, que submete toda estrutura policial a uma engessada burocracia sem fim, que também paralisa o próprio responsável pelo inquérito policial. A falta de resolução tempestiva afasta a boa qualidade das provas e aponta para a impunidade e para a barbárie”, afirma.

O delegado Fernando Alves segue com a cobrança: “Já enfrentamos o desdém de colegas pelo caso, que cruelmente tentaram matar a reputação de Figueiredo numa demonstração de ódio do tamanho daqueles que desferiram três tiros no rosto do nosso companheiro. Não se pode classificar ódios, ódio é ódio, não há diferença entre o opressor da periferia e o opressor fardado, são sem camisas matando descamisados numa guerra de ódio sem fim”.

Outro participante do movimento, o bombeiro militar Dalchem Viana, disse que não haverá trégua. “Não sossegaremos enquanto a morte de João Maria Figueiredo não for totalmente esclarecida. Para tanto, nos colocamos à disposição para isso, não somente para o caso em tela, mas de todos os policiais executados no RN. É chegada a hora de tratar o problema com a gravidade e importância que ele exige do Estado, que de maneira alguma pode esquecer a morte de um operador de segurança pública, sob pena de também morrer com cada um que tomba por conta desse ódio sem fim, seja lá de qual lugar ele venha”.

“João Maria Figueiredo era um entusiasta, pois acreditava numa segurança pública que defendesse antes de tudo a justiça, mas sobretudo a justiça social”, concluiu o bombeiro.

Para saber mais sobre o movimento Policias Antifascismo do RN, acesse: https://m.facebook.com/policiaisantifascismorn/

06 de Março de 2019

Acidente fatal

Jovem Motoboy morre vitima de acidente de moto a caminho de casa na zona rural de Mossoró.

ImagemO acidente do tipo colisão moto com animal foi registrado na madrugada de hoje, 06 de março, próximo a antiga Fazenda São João, na  RN 015 e teve como vitima no local, Bruno Machado do Nascimento de 24 anos de idade, que segundo informações trabalhava como moto Boy, fazendo entrega de uma lanchonete em Mossoró e estava retornando para casa na localidade de Barrinha, zona rural de Mossoró.

Socorristas e médicos do Samu ainda tentaram, sem sucesso, reanima-lo. Bruno morreu no local antes da chegada do socorro.  Depois da pericia no local do acidente, a equipe de Medicina Legal do Itep fez a remoção do corpo para exames de necropsia, na base do órgão em Mossoró.

06 de Março de 2019

RN: Região Oeste

Região Oeste: Do Litoral ao Sertão: Forças de Seguranças garantem o período de carnaval mais calmo de todos os tempos no interior do RN

ImagemValeu a pena o esforço empregado pelas forças de segurança para garantir a tranquilidade e o bem estar de turistas e foliões que resolveram procurar o interior do estado para brincar o carnaval ou visitar seus familiares que residem nas cidades Oestanas.

Do Litoral ao Sertão da região Oeste do Rio Grande do Norte, viveu o período de carnaval, com inicio no dia 02 até a madrugada de hoje, 06, mais tranquilo de todos os tempos. Nenhuma morte foi registrada com foliões, ou atribuída a alguém envolvida com os festejos de momo.

Foram 09 mortes registradas na Unidade do Itep em Mossoró, sendo 04 assassinatos, 03 acidentes de transito e 01 afogamento. Na RN 117, a vitima estava a caminho de uma Igreja Evangélica. Nas RN’s 015, em Baraúna e 221 em Guamaré, as vitimas estavam retornando do trabalho. Em Ipanguaçu, 01 pessoa foi encontrada boiando nas aguas do Rio Assú, com registro de morte por afogamento.

A Unidade do Itep em Pau dos Ferros registrou 02 mortes por acidente de transito, na zona rural de Serrinha e Frutuoso Gomes, na região Oeste.

O trabalho de fiscalização nas Br’s foi coordenado pela Policia Rodoviária Federal, que segundo informações, não registrou nenhum caso com morte na região Oeste do estado.

Nas RN’s do interior e nas cidades, onde ocorriam festas de carnaval, a segurança foi comandada pelas Policiais Rodoviária Estadual, Militar, com Plantão permanente da Policia Civil, principalmente nas cidades com maiores concentração de publico, como Guamaré, Macau, Areia Branca, Upanema, Apodi e Pau dos Ferros.

Pau dos Ferros:

ImagemNa região do 7º Batalhão de Polícia Militar em Pau dos Ferros, o Tc Coronel Cavalcanti, contou com o empregou 200 Policiais e, todo dia, cerca de 21 viaturas eram empregadas para garantir a tranquilidade das 15 cidades onde estava transcorrendo o carnaval 2019.

Resultado: As ocorrências que aconteceram do primeiro dia até o final da noite de 0ntem, 05, foram em média 2 furtos, uma apreensão de droga, receptação, com os suspeitos presos.

Coronel Cavalcanti comemora: Graças a Deus a segurança durante o período do carnaval está excelente, a população já está percebendo que o nível de sensação de segurança está elevado. Parabéns a todos: a PM e a sociedade que também estão conscientes de suas obrigações e respeito ao próximo.

O trabalho realizado pelo comandante do Distrito Rodoviário Estadual contou com o apoio dos comandantes dois Batalhões “2º e 12º” de Mossoró e não teve qualquer registro com mortes nas cidades procuradas para descanso ou para festejos de carnaval.

Os Delegados Inácio Rodrigues e Luiz Fernando, comandantes da Policia Civil para o interior do estado acompanharam, de perto o trabalho realizado pelas forças de seguranças de serviço em todo interior do estado.Imagem

06 de Março de 2019